Catálogo Artistas Audio Video Sobre a Voiceprint SHOP ONLINE
Artistas
+ Brasil
Alvos Móveis
Arco Duo
Ciro Pessoa
Continental Combo
Dialeto
Dr Fantástico
Fabio Golfetti
Giuseppe Frippi
Gong Global Family
Gritando HC
Holly Tree
Invisible Opera Company of Tibet (Brazil)
Jorge Pescara
Jupiter Apple
Mobilis Stabilis
Momento 68
Nihilo
Rainer Tankred Pappon
Stereotrips
The Forest
Violeta de Outono
Zabomba
Zero

Distribuição
Jupiter Apple

Links:
MySpace


Títulos:
Hisscivilization
Ex TNT e Cascavelletes, o ainda muito jovem Flávio Basso começa sua incursão solo pelo folk sob o pseudônimo de Woody Apple. Porém em pouco tempo já estaria eletrificando seu som, transformando-se em Júpiter Maçã. Um ano após, gravaria o seu primeiro álbum, o psicodelíssimo “A 7a Efervescência”, uma estrondosa estréia no final de 1996, ganhando grande destaque nos principais jornais culturais do Brasil. Trazia com ele, como compositor original, entre outros, clássicos como “Um lugar do caralho” (gravado por Wander Wildner) e Miss Lexotan 6mg Garota (gravado pelo IRA!, em 1999), gerando também incontáveis bandas emergentes que o elegem por unanimidade O MESTRE!!!

Com o passar da década seguinte, o disco foi eleito o maior e mais expressivo disco de rock do Sul do Brasil de todos os tempos e também entre os 100 maiores álbuns de música brasileira da história, pesquisa feita pela revista Rolling Stone.

Em 1999 segue com o delicado e bossanovista “Plastic Soda”, premiado pela Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA), a partir dai passou também a assinar como Júpiter Apple. Assegurou ainda mais sua notoriedade entre aqueles que buscam o novo, a vanguarda e o fator eclético dentro de um conceito.

Em 2002 lança o cultuadíssimo “Hisscivilization”. Paixão arrebatadora entre os fetichistas da música fin de siècle. Da uma respirada e homenageiam suas próprias raízes em “Bitter” (2007), com blues, folk rock e “músicas de pirata”. Em 2008 lança o já tão apreciado virtualmente “Uma tarde na fruteira”, lançado também na Europa pela Elefant Records. A obra, neo-tropicalista, celebra de ponta a ponta quase tudo que possa se entender por brasillis music, segundo a crítica alemã: “Uma adorável mistura de Mutantes, Tom Jobim, Tom Zé, The Beatles, Beach Boys, Caetano Veloso e outros mestres. Tudo isso com uma sonoridade anárquica acompanhada por flautas que lembram o aproximar dos cisnes ao lago”. A aura em torno do artista assim como em seus shows pode nos remeter por exemplo ao excêntrico mix de Françoise Hardy, Serge Gainsbourg, Marlene Dietrich, Frank Sinatra, Nico, Iggy Pop, atmosfera circenses soturnas, cabaret e pós punk.

Júpiter Maçã é constantemente citado por artistas de renome nacional e internacional como referência. Sua essência criativa é imprevisível, instigante, magnética, elegante, vanguardista e genuinamente “sem fronteiras”. No ano de 2009, estréia com uma nova formação de banda (Thunderbird/baixo, Dustan Gallas/guitarra, Astronauta Pinguim/piano e órgão, Felipe Maia/bateria) e residindo em São Paulo, o Mr. Maçã lança o single “Modern Kid”, do qual já se pode conferir o clipe, que esteve concorrendo ao VMB deste ano na categoria videoclipe do ano, e apreciar o áudio no site da Trama Virtual. O ano de 2010 já começa consagrando mais uma vez a nova fase do artista, com a música “Modern Kid” entre as 25 melhores músicas do ano de 2009, eleita pela revista Rolling Stone.

No início de 2010, gravando alguns preciosos singles e aprofundando-se no estudo do conceito do seu novo álbum, aproveita também para dinamizar performances com a formação responsável pelos shows na parte sul do país, tendo como músicos:Júlio Cascaes/Guitarra, Mauricio Chaise/Baixo,Astronauta Pinguim/Piano, Organ e Moog e Júlio Sasquatt na Bateria.